[ editar artigo]

PARA ONDE VAI SUA CARREIRA?

PARA ONDE VAI SUA CARREIRA?

Estimulada pelos meus pais, atraída pelas oportunidades de emprego que a indústria oferecia e sem muita noção do que realmente significava escolher um curso de formação profissional, ingressei na Escola Técnica Federal, no curso de eletrônica com duração de 4 anos para conclusão do ensino médio. Na primeira semana de aula, tive uma ideia de que não era nada daquilo que queria fazer profissionalmente e todas as demais semanais dos longos meses até a conclusão fui tendo a certeza. Para terminar o curso, obrigatoriamente precisava fazer estágio e com ele a prática real da profissão que carimbou o meu passaporte no curso errado.

Embora a experiência tenha sido positiva sobre os aspectos de conhecer pessoas maravilhosas, ampliado minha visão sobre empresas, fornecido um crescimento na minha forma de pensar com dosagens mais racionais e lógicas, que são características de cursos técnicos, certamente ter iniciado essa fase da carreira mais dentro dos meus interesses e habilidades, teria economizado tempo, dinheiro e outros recursos numa direção mais assertiva, e talvez tivesse tido menor dor emocional no caminho.

Sim, as dores foram importantes para ser quem sou hoje e todos os aprendizados foram úteis, relevantes, contribuíram e continuam contribuindo para a pessoa que me tornei. Lembro inclusive de um episódio em uma das primeiras entrevistas que participei, já na minha carreira escolhida e pensada, que foi a psicologia organizacional, onde passada todas as fases de seleção, eu estava muito nervosa na frente do gerente da planta industrial e ele perguntou porque deveria me contratar e como em um filme abençoado por Deus, veio à memória as minhas aulas de eletrônica digital, rádio, televisão e tantas outras que não sei “nem para onde vão agora” e respondi: Porque sou a única candidata que embora venha e queira muito estar na área de humanas que é técnica em eletrônica, com experiência e olhar apurado para o ambiente fabril. Bingo! Fui selecionada na hora e este lugar me rendeu uma das maiores oportunidades de aprendizado e crescimento profissional que eu pudesse ter naquele momento da minha carreira.

Com esta história quero reforçar que você é único, tem vivência particular e pode aproveitar todas as oportunidades a seu favor para somar as mais diversas experiências em prol de um objetivo e fazer dos cenários mais adversos e controversos um celeiro que contribua para o seu despertar profissional, seu desenvolvimento de carreira e colher frutos maravilhosos no trabalho e na vida.

Comecei esta história porque conheci pessoas frustradas com suas carreiras, desmotivadas com as escolhas ou imposições que as levaram ao trabalho em que atuam hoje, tristes com o rumo profissional e descrentes com a possibilidade de mudar, de encontrar uma forma de recomeçar. Tive a honra como coach de conduzir processos de orientação de carreira e ver pessoas renovadas em suas atuações. Muitos viraram  empreendedores ou consultores e aproveitam sua história para inspirar outras pessoas a serem felizes, outros reposicionaram-se dentro da própria empresa, são líderes incríveis e seguem motivados com o novo rumo. Alguns outros, passaram a entender as razões que os levaram até a profissão que estão hoje e apaixonaram-se pela oportunidade de ver as tarefas atuais como um legado a ser deixado. Alguns poucos, desistiram, conformaram-se e estacionaram “seu carro”.

Porque falei que estacionaram o carro? Porque quando falamos de carreira, podemos traduzir como caminho dos carros ou trilho. Cuidar da sua carreira passa então a ter uma conotação de conduzir a sua vida profissional guiando o seu carro na trilha em que escolhe seguir. É por isto, que sempre repito em minhas palestras sobre o assunto, que você é o responsável por sua carreira, que você decide qual o percurso, em qual direção, em qual velocidade e para tanto, os cursos, atualizações e demais decisões que fortaleçam você nesta estrada, são de sua inteira responsabilidade.

Certamente, você cria uma trilha, mas não consegue prever todos os obstáculos, não controlará as estações do ano para decidir que todo período será de primavera com lindas flores no caminho. Desta maneira, também não haverá somente dias de sol. Em muitos momentos, a chuva e o frio tomarão você de surpresa e precisará também aprender a guiar em momentos de forte vento e folhas caindo no outono.

Por outro lado, aprender a lidar com as adversidades em uma estrada em que sabe onde quer chegar, conduzindo com responsabilidade e atenção a cada momento e ter fortalecido seu conhecimento sobre as características incríveis que você tem como piloto, fazem muita diferença.

Sobre este olhar, relacionarei para você alguns pontos importantes para avaliar-se profissionalmente, para que suas escolhas profissionais sejam pensadas ou repensadas: aumente o autoconhecimento sobre sua personalidade e perfil, essas informações ajudarão a entender seus principais campos de motivação e valores, refletindo mais claramente para você quem realmente é; descubra seus interesses pessoais e com eles terá mais foco nas áreas e profissões relacionadas a estes interesses; procure entender suas habilidades para que mesmo que não seja no campo profissional, ainda assim realize atividades neste contexto e com isto possa ser feliz praticando esses conjuntos de habilidades em sua vida; também recomendaria visitar suas prioridades, no sentido de qual ambiente deseja em suas atividades profissionais? Que resultados deseja obter em sua profissão? Que impacto deseja causar através de suas atividades?

Fuja também das armadilhas comuns que levam pessoas talentosas a escolherem atividades profissionais e depois se verem frustradas com a decisão que tomaram:

- Escolher a área que parece ter mais emprego ou que seja mais fácil.

- Escolher levando em consideração apenas o ganho financeiro.

- Escolher porque a profissão tem um bom título ou a empresa é famosa.

- Escolher uma área porque seus pais ou pessoas de referência trabalham nela.

Certamente a lista não se esgota aqui, mas essas são algumas das arapucas que pegam as pessoas, e depois reposicionar o carro para a estrada que gostaria tomará mais tempo, trabalho e recursos. Para ajudar a escapar dessas armadilhas pode começar respondendo algumas perguntas:

- Você vive a carreira de seus sonhos?

- Você faria o que faz hoje profissionalmente se não precise do dinheiro?

- Quem é você de verdade no campo profissional?

- Qual atividade profissional é mais aderente à sua personalidade?

- O que você pode esperar do seu futuro profissional se continuar fazendo o que está fazendo agora?

Espero realmente que este texto tenha ajudado você a pensar seu caminho de carreira profissional, e tenho consciência que um assunto tão amplo e personificado como este merece mais tempo dedicado. Por isso dedique um tempo, se conheça melhor e tenha a carreira que lhe deixará feliz! 

 

Cintia Lima

Psicóloga, Master Coach e Mentora Organizacional

Instagram: @Psi.cintialima

Facebook: Cintia Lima

LinkedIN: https://br.linkedin.com/in/psicintialima

Site: https://www.cintialimacoach.com/

 

 

 

  

Mulheres que Decidem
Cintia Lima
Cintia Lima Seguir

Psicóloga, Leader Mentoring e Master Coach - CL Treinamentos. Gerar Performance de Pessoas e Organizações através de Palestras, Treinamentos, Consultoria, Mentoria e Coaching, usando dons e talentos para ser sal, luz e fermento.

Ler conteúdo completo
Indicados para você