[ editar artigo]

Será que consigo viver de arte?

Será que consigo viver de arte?

Eu tive muitas dúvidas quando comecei o meu negócio com artesanato e encontrei muitos obstáculos também. Entre elas, a falta de reconhecimento do artesanato como um negócio.  Está enraizado em nossa cultura a desvalorização de viver de arte desde a educação infantil, somado a falta de estímulo da sociedade, amigos e família.

Sabe aquela lembrancinha de aniversário, casamento, formatura, chá de bebê que você ganhou de um amigo e jogou fora no caminho de volta pra casa? Provavelmente, tinha uma etiqueta com nome de um artesã que ficou vários dias trabalhando nessa encomenda, e acredite, essa poderia ser a sua única fonte de renda familiar .

Essa etiqueta era o elo entre você e essa artesã.

Uma pessoa, uma profissional que está esperando um contato por uma indicação, um elogio, algum retorno positivo do evento.  

Não basta ter um trabalho bonito e bem feito, precisa saber como é para quem vender. E, colocar a etiqueta no produto, não pode ser a sua única estratégia de marketing.

Estar em todas as redes sociais não garante que você irá vender, se não tiver estratégia, você vai ser só mais uma artesã no meio da multidão. 

Diante disso, para ter visibilidade e credibilidade, dediquei tempo para estudar e buscar fazer um trabalho de personalidade exclusiva com muita excelência. Estou a 15 anos trabalhando como Escultora de Miniatura de pessoas para diversas ocasiões.

Desde o início trabalhei com a ideia de presentes criativos, onde o cliente traz uma ideia e trabalhamos juntos na construção dessa escultura, permitindo que ele participe do processo criativo até a escultura se tornar uma realidade.

Meu cliente se torna protagonista da sua própria história e transformo essa compra em uma  experiência ímpar

E com essa conexão, meus clientes se tornam amigos e recebo muitas indicações. Minhas esculturas são destaques nos momentos especiais da vida das pessoas e, toda vez que olham pra ela tem valor afetivo agregado e traz lembranças felizes. 

Desde o nosso primeiro contato até o grande dia do evento e mesmo depois, continuam construindo histórias das suas lembranças.

Minhas esculturas não tem etiqueta mas, sempre recebo elogios e indicações dias após a entrega .

Para se viver de arte é preciso estudar bastante, aperfeiçoar sempre e ter um roteiro de planejamento priorizando:

  • Fazer a gestão do tempo;
  • Aprender sobre estratégias de marketing para apresentar seu trabalho;
  • Criar oportunidade de vendas;
  • Empreender com criatividade;
  • Ter disciplina;
  • Paciência e;
  • Ser apaixonada pelo que faz. 

Sou uma Decidida muito feliz e grata, espero ter contribuído com a minha experiência.

Você consegue chegar onde quiser, comece com o primeiro passo e não pare de seguir em frente rumo seu sucesso. 

E você, qual a maior dificuldade que enfrenta HOJE, no seu negócio?

Mulheres que Decidem
Ler conteúdo completo
Indicados para você